2014-11-11

DOIS POEMAS PARA ANGOLA...


As efemérides são números nas gavetas do tempo. De vez em quando abre-se a gaveta e saem memórias. Boas, menos boas, algumas trágicas. Mas lembramos...e isso faz bem ao espírito e à autoestima. 
Nesta data, quero oferecer dois poemas. De sangue e de esperança...com 13 anos de intervalo. 

PAÍS ESVENTRADO

Angola de promessa
terra imensa...
a guerra sobra em cada dia
e mata quem vive
de teimosa esperança
alimentado!
Serena distância
de quem viveu
de quem sofreu...
desfeito o futuro do passado
é hoje questão sentida,
Nação partida
mas não perdida,
país esventrado em cada mina
roubado em gabinetes do "esquema"!
Angola imensa
é alma d'África
ainda, sempre
Terra de promessa...
==== 
António Bondoso
Porto, 2001 (40 anos de guerra em Angola) - in TONS DISPERSOS, Vega , 2003.
&&&&&&&&&&&&& 

ANGOLA (A Publicar)
(ouvir falar dela…)

Só ouvir falar de Angola
Desperta sentidos vários.
Saudade, sede, semente
Uma imensidão de tempo
Uma vastidão de terra
Que não cabem num olhar
Nem no tempo de uma vida!

Angola é mundo mistério
De natureza enricada
Angola é mundo de gente
Com tanta língua falada
Angola deita no mar as vidas de tantos rios…
Só ouvir falar de Angola
Desperta sentidos vários!

Angola de muita história
Quantas lendas milenares
Quando se fala de Angola
Diamantes e petróleo
Enchem todos os lugares.
Só ouvir falar de Angola
Desperta sentidos vários!

E a música que nos encanta
E as danças tradicionais.
Quando se fala de Angola
O coração é batuque acelerado demais
Rebita, puíta, quizomba.
Só ouvir falar de Angola
Desperta sentidos vários!

Angola canta, Angola dança
Angola vive d’esperança
De matar o sofrimento
Renovar o sentimento
De perdão e ser feliz.
Só ouvir falar de Angola
Desperta sentidos vários!
====== 
A. Bondoso (A Publicar) - 2014.


Sem comentários: