terça-feira, 31 de março de 2015


NESTE TEMPO DE PÁSCOA.................


                      DÚVIDAS DE VIDA (A Publicar)

Páscoa
Paixão
Morte e ressurreição
Páscoa
Passos
Caminhos de contradição.

Esta vida é um senão
Perdida mas logo achada
Páscoa
Angústia de sexta-feira
Reconvertida em esperança
Radiosa na mensagem
Que o sábado é de passagem.

Páscoa
Ideia inteira
Balança
Nasce um domingo perfeito
Certeza de muitas dúvidas
De que o nosso mundo é feito.
===== A.Bondoso (A PUBLICAR).

Foto de Ant. Bondoso

quinta-feira, 19 de março de 2015

Quando a Poesia se permite pendurar poemas nas árvores


Celebração conjunta da poesia, da árvore e da água mobiliza freguesias e instituições em Moimenta da Beira.

            A 21 e 22 de Março vai poder ler poemas dependurados em árvores no concelho de Moimenta da Beira. É uma iniciativa conjunta da Associação Cultural e Recreativa de Soutosa e da Fundação Aquilino Ribeiro, em colaboração com a Escola Profissional e com a União das Freguesias de Peva e Segões. O evento, que tem o apoio da Câmara Municipal, pretende mobilizar os amantes da poesia e da natureza para uma ideia diferente de ver, de ler, sentir, dizer e viver uma data tradicional. De cabeça levantada em direção ao céu, aos ramos e aos troncos das árvores, artistas e população daquele concelho beirão quase encostado ao Douro vão poder celebrar em simultâneo o Dia da Árvore e da Floresta, o Dia Mundial da Água e o Dia Mundial da Poesia.
            Numa altura em que ainda se interpreta, de forma diversa, a definição de Poesia e de Poema, esta iniciativa acaba por contribuir – também diretamente – para o “debate”. Guilherme Mendicelli, esgrimindo o dicionário “Aurélio”, diz que Poesia é a “Arte de criar imagens, de sugerir emoções por meio de uma linguagem em que se combinam sons, ritmos e significados.” E sobre o Poema, na mesma fonte, afirma que é “Obra em verso ou não, em que há poesia.” Já o dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora (2009), é mais concreto sobre o Poema: “Obra em verso”. E quanto à Poesia, permite 7 interpretações – a primeira das quais não difere muito da que vimos atrás: “Arte que se distingue tradicionalmente da prosa pela composição em verso e pela organização rítmica das palavras, aliada a recursos estilísticos e imagéticos próprios”.
O que não há dúvida é que a Poesia é uma arte. E como arte – distinta, no dizer de Cristina Carvalho – “tem uma linguagem que permite tudo, sempre”. Mas não é certamente, acrescenta a escritora, “um acumular de palavras num esforço patético de dar voz aos amores e dar voz a coisa nenhuma”.
            Seja como for, o que se vai passar em Moimenta da Beira no próximo fim de semana é Poesia suspensa em troncos de árvores frondosas, de copa grande ou de copa pequena. Poesia de autores vários, uns de renome outros menos conhecidos, contemporâneos, modernos e menos modernos, para serem lidos individualmente ou em grupos de pessoas em sete locais de três freguesias do concelho.
Segundo o gabinete de comunicação do município, os locais em destaque serão a vila, sede do concelho, onde “a poesia vai estar pendida nos ramos e nos troncos das árvores dos largos do Tabolado e das Tílias, e no Terreiro das Freiras, o espaço mais nobre e histórico de Moimenta da Beira”. Depois, em Soutosa, terra de vivência e de trabalho de Aquilino Ribeiro, nas árvores que o mestre plantou há mais de meio século, em frente à casa que é hoje sede da sua Fundação. Ainda na Soutosa aquiliniana, no largo em frente à matriz e no parque do Senhor da Aflição.
“Finalmente, na Quinta do Ribeiro, freguesia de Rua, nos terrenos verdejantes que circundam a Escola Profissional de Moimenta da Beira”.



António Bondoso
Jornalista
18 Março 2015. 

terça-feira, 17 de março de 2015

É preciso mais empenho de Portugal na expansão da Língua

Historiadora Maria Manso critica autoridades e pede reforço do papel da Rádio e da Televisão públicas.

Foto de António Bondoso

            Embora esteja de acordo com o facto de a nossa política externa dever ter um pé na Europa e outro no Atlântico, a professora da Universidade de Évora considera que “deveríamos dedicar maior percentagem de atenção aos Países Lusófonos e às regiões que por questões culturais se mantêm/estiveram ligadas a Portugal. Somos europeus, mas somos sobretudo lusófonos. Na actual situação em que o País se encontra, necessitaríamos de desenvolver políticas de cooperação que possibilitassem o fortalecimento da CPLP e permitissem uma “menor dependência” de Portugal face às políticas europeias”. Maria de Deus Beites Manso, docente e investigadora nas áreas da Arqueologia e de Humanidades, vai estar no Porto na próxima na quinta-feira para falar da expansão da língua, da Lusofonia, da CPLP, e do reforço do papel da comunicação social do Estado. (...) 
==== Texto Completo em: 




António Bondoso
Jornalista

segunda-feira, 16 de março de 2015


***** A CULTURA...COMO VEÍCULO DE DESENVOLVIMENTO...



Aposta de Coruche e de Vizela na Cultura dá visibilidade

A poesia é utilizada como polo dinamizador de regiões afetadas pela interioridade.


Quem se lembrar do sucesso que foi a Bienal de Artes em Vila Nova de Cerveira, que viria depois a receber a legenda de “vila das artes”, talvez não estranhe os efeitos positivos das atividades culturais em Coruche ou em Vizela. Na vila ribatejana há um Café como ponto central, tendo agora a Rádio como ajuda preciosa – enquanto em Vizela a dinamização começou exatamente pela Rádio. Ponto comum, a poesia dita, falada, conversada, de mãos dadas com a música. Em Coruche a legenda é “Um Poema na Vila”, enquanto na cidade minhota tudo se desenvolveu à volta da “Hora da Poesia” – um programa radiofónico que já leva 3 anos de emissão, tantos quantos os da existência de Um Poema na Vila. (...) 




António Bondoso
Jornalista.


sábado, 14 de março de 2015





Pedro Abrunhosa e Valter Hugo Mãe apadrinham Bienal de Arte em Gaia

1ª Edição decorre entre 11 de Julho e 8 de Agosto e pretende transformar VNGaia num grande polo cultural.

A visibilidade mediática oferecida pelos “padrinhos” – duas personalidades fora da temática das artes plásticas – e de acordo com o diretor da Bienal, o jornalista e artista plástico Agostinho Santos, tem exatamente esse objetivo de abrir o mundo das artes ao mais comum cidadão e colocar Vila Nova de Gaia e a Área Metropolitana do Porto definitivamente no “mapa das artes”. (...) 

==== TEXTO COMPLETO EM : 




António Bondoso
Jornalista

OS DIAS DO PORTO....

Foto de António Bondoso


A CIDADE E O SOL (A Publicar)

E o sol a beijar a Torre
E a cidade a pulsar.

Há quem suba e há quem desça
Manhã cedo ou ao meio dia
Fixando os olhos na Sé
E no limite do burgo
Ora penetrando o rio
E os barcos que ali navegam.

E o sol gira
E vai sorrindo
A tantas ilhas sombrias
Calando fundo na alma
E nos corações de granito
Antes de perder todo o brilho.

Então a Torre iluminada
Sente que a cidade pulsa…
E antes mesmo que adormeça
Estende um manto libertário
Diligente e Protetor
De toda a vida gerada.
====================
António Bondoso ( a Publicar)

António Bondoso
Jornalista

sexta-feira, 13 de março de 2015




Educação Ambiental – Murtosa, Aveiro - 8 a 11 de Julho.

III Congresso Internacional dos países e comunidades de língua portuguesa.

A mensagem que interessa veicular é que é urgente, à escala planetária, atuar com medidas de prevenção e mitigação, sendo necessário envolver todas as áreas da sociedade - política, civil, académica e empresas - e todos os escalões etários, na temática ambiental. E tudo começa na Educação, como se depreende do tema do 3º Congresso de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa: "Educação Ambiental - travessias e encontros para os bens comuns". Organizado pela ASPEA - Associação Portuguesa de Educação Ambiental, em parceria com a Câmara Municipal da Murtosa e com a Fábrica Centro Ciência Viva, da Universidade de Aveiro, o Congresso tem já inscritos mais de 350 participantes. A maioria representa o Brasil e Portugal, seguindo-se S.Tomé e Príncipe, Moçambique, Galiza, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Angola, Nicarágua, França e Timor-Leste. 
Questionado sobre a importância do tema, à escala planetária, o Presidente da Comissão Organizadora do Congresso - Joaquim Ramos Pinto - disse que, numa escala de 1 a 10, atribui a classificação máxima às problemáticas ambientais. (...) 

==== Ver todo o texto no link abaixo.


http://pt.blastingnews.com/sociedade/2015/03/questoes-ambientais-no-topo-das-preocupacoes-de-especialistas-lusofonos-00304737.html




video

Outros pormenores sobre o Congresso em: 





António Bondoso
Jornalista


quinta-feira, 12 de março de 2015


TRISTE PAÍS........ De desmentido em desmentido Até ao Destino Final!

                                                                Foto de A. Bondoso

GENTE SEM PORTE

Temos um país suspenso
Em agonia de morte,
É já a Lei que se rejeita
Por certa gente sem porte.
E sofre mais quem não suspeita
Que essa gente percebe
E até promove
Traição infame, desonra e dor.

==== António Bondoso
(Pag.19 em O PODER E O POEMA.2012.
Também em O RECOMEÇO (2014).Pág. 39

O Autor e Edições Esgotadas.


António Bondoso
Jornalista.

quarta-feira, 11 de março de 2015

DE SONHO EM SONHO...


SONHO NU (A PUBLICAR)

O meu sonho vai nu
Despido de tudo.

Nascido do nada
Nem pôde crescer
Alimento ilusório
Num seio vazio
Que teimo em sorver
Pirrónica missão.

O meu sonho vai nu
Descalço de gente
Perfeito sem tempo
Não vendo a esperança
Latente sinal
Que ninguém me roubou.

O meu sonho vai nu
Despojado de vida
As horas são mortas
E as ideias tão vagas
Que a magia suave
De tão transparente
Não toca e não sente
Esta alma ferida.
O meu sonho vai nu
Sem véu e sem manto
Mas talvez possa ainda
Salvá-lo do pranto.
======== António Bondoso (A PUBLICAR)



António Bondoso
Jornalista

OS MEUS LIVROS DE 2014 - I


Africana inteira, do Bié e do Lubango, Maria do Rosário de Freitas acaba de soltar palavras ao vento, respirando poesia – da Tundavala a Coruche, da Senhora do Monte a Sesimbra.
Quem a conhece bem, como a amiga Ana Maria Teixeira Freitas, diz que a sua escrita “é prenhe de emoções, muito ligadas ao real”.
De facto, este livro que agora nos apresenta – editado pela sua Apenas Livros Lda e com o título Solto Palavras ao Vento – é um retrato de si, desde menina, mostrando a pureza da alma, nua, e abrindo o coração às memórias. É o seu tempo de saldar contas com o passado sem recurso a qualquer tipo de engenharia espiritual. Diz o que sentiu e sente – apenas! Pelas palavras, que são símbolos, e pela poesia que delas emana. “No piar das aves/no sopro do vento/no som da chuva…” Rosário de Freitas “semicerra os olhos” e leva “na sua viagem” o que lhe “vai no coração”. E não esquece Abril – que vai chegando – tempo que “abriu os corações para a esperança…e as portas do sonho”!
Parabéns…e escreva sempre!



António Bondoso
Jornalista

sábado, 7 de março de 2015



***** Neste Dia...

“(…)e em sua incalculável imperfeição
constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação inumerável”.
Receita de Mulher - Vinícius de Moraes

Foto de A. Bondoso

TEMPO DE ENCANTAMENTO (A Publicar)
E assim...
Bem defronte dos teus olhos
Poderás ler nos meus lábios
Que a vida tem sempre um tempo
Precioso e de mistério.
Um tempo de encantamento
Que alimenta e ressuscita
A alma junto do corpo
Um tempo que o vento move
Alumia o horizonte
Aveludado caminho.
Abandono-me e entrego-me
Ao teu tempo
Espaço nosso.
===== António Bondoso (A Publicar)

Foto de A. Bondoso

António Bondoso
Jornalista

segunda-feira, 2 de março de 2015

UMA TERÇA-FEIRA ESPECIAL... 
PARA S. TOMÉ E PRÍNCIPE E PARA OS SEUS FILHOS...DE NASCIMENTO OU DE CORAÇÃO. 

Chega hoje às "bancas" o nº 250 do jornal online NOTÍCIAS À TERÇA, editado há cinco anos pelo amigo CARLOS DIAS. Na passada terça-feira foi o nº 249...de que destaco uma parte como podem ver. 


Entretanto, para assinalar a efeméride - com um significado muito especial para mim, por motivos óbvios e, estou certo, para todos os "são-tomenses" - solicitei ao Carlos Dias uma pequena entrevista, chegando mesmo a dar-lhe os tópicos das questões. Por motivos diversos e que agora não vêm ao caso, o Carlos preferiu contar a história dos almoços das terças-feiras que, curiosamente, deram origem à publicação semanal. 
===== É o que podem ler e ficar a saber...como segue: 
Notícias à Terça …
Porquê às terças-feiras ?
Não foi possível estabelecer a data em que tiveram início os almoços às terças-feiras que juntam  os amigos de São Tomé e Príncipe, naturais ou não, ex-residentes ou em curta estadia em Lisboa. Há mais de 50 anos não há dúvida. Quando em 1963 estive em Lisboa de férias já um grupo  ligado a São Tomé e Príncipe se juntava no Rossio, frente ao Nicola, todas as terças-feiras. Ali iam esperando que se juntassem mais uns tantos e partiam para ir almoçar a um restaurante escolhido na ocasião, quase sempre no Parque Mayer. Desse tempo lembro-me do Fonseca do Rio do Ouro, do Baltazar das Plancas, do Ricardo Carvalho da Imprensa Nacional, do Araújo da Curadoria e mais uns tantos.
E porquê Notícias ?
Porque reparei que uma das razões do almoço, além da óbvia que era estarem algum tempo juntos, e almoçar claro, era a de trocar notícias de outros amigos e da vida em São Tomé e Príncipe. E assim continuou mesmo quando passaram a ser muitos mais os convivas, a quando do regresso de muitos portugueses na altura da descolonização. Às vezes um ou outro trazia um pequeno apontamento para não se esquecer, ou um jornal, ou um livro … daí o “Notícias” a partir de 23 de Março de 2010.
A pouco e pouco os leitores foram aumentando, à medida que também ia aumentando o número dos que utilizavam o Notícias para dar ou tomar conhecimento de eventos, relacionados com São Tomé e Príncipe, almoços, reuniões, conferências, ou apenas aniversários, falecimentos, etc.
O editor que, digamos, recebeu a chama dos fundadores naquele já longínquo ano de 1963, chamou a si, com muito gosto, uma parte importante do “projeto” de manter o almoço das terças-feiras (alguém o faria) e de tentar manter informados os presentes e, utilizando as novas tecnologias, alargando a “plateia” a muitos mais.
Creio – e desejo – que também se pode ver neste “projeto” uma enorme amizade, e saudade, de São Tomé e Príncipe.  Saudade que não saudosismo como alguém, menos informado, um dia lhe quis atribuir.
E calou tão fundo na alma do editor a força que sentiu nos fundadores, que não houve um fundador ou um grupo de fundadores ou uma fundação mas sim as coisas foram acontecendo, que ainda hoje é aí que vai buscar a força para tentar manter esta tradição dos “almoços de terças-feiras” e do espirito que deseja tenha o “Notícias à Terça”.
Há uns tempos, quando as forças pareciam querer ser fracas, contactei alguns eventuais continuadores do NT. Mas a transferência acabou por não ser feita, não porque os leitores perdessem algo com a mudança, ganhariam estou certo porque os escolhidos eram pessoas de mais qualidade, mas porque entendi que devia continuar a prestar este serviço a mim próprio (mantendo-me ativo) e porque achei que enquanto fosse possível devia manter-me fiel a esta homenagem que mereciam os que me tiveram com eles à mesa.
Enquanto Deus quiser.
3 de Março de 2015

Carlos Dias. À época - Intendente do Emissor Regional da ex-E.N. em S. Tomé e Príncipe. 
Desempenhou cargo idêntico na Guiné, depois de ter sido Diretor do Rádio Clube - a sua maior paixão - e de ter desempenhado o cargo de Administrador do Concelho do Príncipe, entre outros cargos de responsabilidade. 
===== Deixo ainda o fac simile do nº1 do Notícias à Terça. Para que saibam: 
NOTICIAS À TERÇA (1)
               
                Entrou a Primavera, é a Natureza que se renova. Assim nos sintamos nós, mesmo apesar dos sinais de morte que neste últimos tempos marcaram a partida de alguns dos nossos amigos. Sintamo-nos renascidos, marquemos até como uma mudança de ciclo o fim da nossa presença no Lagosta Real e o inicio, que foi auspicioso porque nos receberam bem, de uma longa presença no Inhaca.
                Com as novas tecnologias (mesmo com as dificuldades que possamos ter no seu uso ...) poderemos trocar noticias e à terça-feira publicar este “jornal” que será entregue em mão no almoço e enviado por mail para os endereços que forem conhecidos. As noticias poderão ser enviadas para: neto.geo gmail.com ou alvaro.morais iol.pt ou carlossaid gmail.com.  O “jornal” será depois distribuido no almoço ou, como já se disse, enviado para os endereços conhecidos. Há entretanto já dois blogues criados, que não têm tido a serventia que se desejava precisamente por falta dos tais conhecimentos técnicos, mas nós vamos lá. São: www.andorinha.bloguedesporto.com e www.saotomeprincipe.blogspot.com.
Vamos tentar utilizar estas ferramentas ?
As noticias de hoje:
12/2/2010 – Faleceu o Raúl Heitor
23/2/2010 – Faleceu o Daniel Conceição
28/2/2010 – Faleceu o Hugo Lacerda (D. Maria Améli comunicou que a missa de sufrágio terá lugar no dia 28 de Março, às 18 horas, na Igreja de Arroios (Praça do Chile)
16/3/2010 – Faleceu o Joaquim Campos (Campos da Shell
21/3/2010 – Faleceu o Vitor Manuel Moreira da Cruz
                Às Familias enlutadas renovamos as nossas condolêrncias.
Convivio anual do Andorinha – O Vitor Cruz na véspera de morrer esteve a combinar com o Américo Gradissimo a data para o habitual convivio anual do Andorinha, que marcaram para 4 de Junho, 6ª feira. Ontem mesmo muitas pessoas concordaram pois seria uma forma de também homenagear a memória do Vitor. Daremos mais detalhes.
Almoço da lampreia – ainda esta semana ou na próxima o mais tardar¸daremos detalhes sobre o almoço da lampreia em Belver, É necessário saber desde já quantas pessoas, mais ou menos, estarão interessadas.
Dra. Otilina Santos – Foi um sucesso a apresentação do recente livro da nossa Amiga Dra. Otilina, contamos transcrever no próximo jornal algumas das criticas de jornais. Foi pena que do nosso grupo, nalguns casos por razões de idade ..., apenas estivessem o Dr. Seibert e o Álvaro Morais, mas havia mais de 100 pessoas.
António Bondoso – apresenta o seu livro de poemas no próximo dia 8 de Abril, pelas 18 horas,  na Casa de Angola, em Lisboa (a Casa de Angola fica perto do Rato, junto ao Hotel Amazónia, disse-me o Bondoso),
 23/3/2010
========= Parabéns e Longa Vida ao Notícias à Terça. Um grande abraço de reconhecimento ao Carlos Dias pelo carinho e pelo seu empenho na divulgação de S. Tomé e Príncipe. 

========= E já agora... deliciem-se com este slide show: 

http://youtu.be/xDhKXSmc_qw 

António Bondoso
Jornalista. 

sábado, 28 de fevereiro de 2015

SER PAI...

Foto Arquivo Pessoal.

SER PAI.
Ao meu pai, em memória, e a todos os que antes dele foram pais e me trouxeram à vida, fica o registo do que ofereço ao meu filho na esperança de que o ciclo se complete. E ainda para que ele não esqueça a memória de outros pais que dele igualmente foram e nele da mesma forma viveram.

Ser pai (A Publicar)
Ser filho
Ser filho do pai e pai do filho
É ter um sorriso de vida
A emoção de um olhar
A certeza de que estamos e que somos.

Um filho prolonga
E um pai alonga
O tempo e no tempo que vivemos.

Cúmplice do pai
Companheiro do filho
A circunstância de sermos
E de amarmos.
==== A. Bondoso (A Publicar)


domingo, 15 de fevereiro de 2015


NESTE FEVEREIRO...HÁ DOIS CAFÉS PARA LEMBRAR O PASSADO!



JARDIM DA MEMÓRIA (A Publicar)

Neste espaço de silêncio
Onde se dá valor à alma
Cada qual com sua cruz…
Há histórias
Há memórias
Há valores que se visitam
Há murmúrios que circulam
Na verdade absoluta.

Neste espaço de silêncio
De cumplicidade e conforto
Onde habitam gerações…
Todo o respeito se curva
Num alívio de suspiros
E todas as lágrimas choram
Enchendo pequenos rios
Consolando corações!

===== António Bondoso (A Publicar)
António Bondoso
Jornalista

sábado, 14 de fevereiro de 2015

É SEMPRE UM TEMPO DE ENCANTAMENTO...

Foto de António Bondoso


TEMPO DE ENCANTAMENTO

E assim...
Bem defronte dos teus olhos
Poderás ler nos meus lábios
Que a vida tem sempre um tempo
Precioso e de mistério.

Um tempo de encantamento
Que alimenta e ressuscita
A alma junto do corpo
Um tempo que o vento move
Alumia o horizonte
Aveludado caminho.

Abandono-me e entrego-me
Ao teu tempo
Espaço nosso.
=================================== 
António Bondoso
Jornalista